domingo, 27 de junho de 2010

Quem disse...

...que no Alentejo não havia praia? Ou Summer Parties?



Edit: A unha vermelhinha é minha...

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Anna Nalick


'Cause you can't jump the track, we're like cars on a cable
And life's like an hourglass, glued to the table
No one can find the rewind button, girl.
So cradle your head in your hands
And breathe... just breathe,
Oh breathe, just breathe

Mundial 2010 # 2

E já cá faltava o Yohann (que já passeou pelo meu Faces e pelo meu Twitter. E não, não pus a foto do jovem em cuecas, apesar de também estar disponível na net):




Mundial 2010



I'm sorry Italy!

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Optimus Alive 10!



É para a desgraça. Comprei (ainda não está na minha posse, mas há-de estar...) o passe dos 3 dias, um dos últimos 10 que restavam nas FNACs nacionais às 11 da manhã.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Londres, Junho de 2010


"Why, Sir, you find no man, at all intellectual, who is willing to leave London. No, Sir, when a man is tired of London, he is tired of life; for there is in London all that life can afford."
— Samuel Johnson

O Samuel Johnson resumiu muito bem tudo o que poderia dizer sobre Londres.
Visitei a maioria dos ícones históricos (três dias de sightseeing não deu para mais...), ficaram para trás o Toussaud (por opção), o interior da Tower Bridge (com grande pena minha) e o Tate Modern.
Ficou a faltar a visita aos arredores, a Covent Garden e ao Portobello Market, a Greenwich e a Windsor. Ficou para trás mais de metade do British Museum, da National Gallery, do Museum of Natural History and Science e do Victoria and Albert Museum.
Ainda não foi desta que vi um musical no West End.

Dois terços das pessoas a quem me dirigi apenas arranhava (mal) o inglês.
Passei em Piccadilly Circus, em Trafalgar Square e Oxford Street. Recebi um panfleto da PETA contra a venda de peles no Harrod's.
Descobri o Costa Caffe, tão bom como o Starbucks (se quiser um, só tenho que ir ao Aeroporto de Faro).
O Tube fascinou-me e não acho que conduzir à esquerda seja assim tão difícil.
Senti-me em casa, mesmo a muitos e muitos quilómetros de distância; com dois dias foi quase como se lá morasse.
Apaixonei-me por Londres e tenho que lá voltar, seja de visita ou de forma mais permanente (uma paixão destas será apenas suplantada com uma visitinha a New York!)...







segunda-feira, 21 de junho de 2010

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Está quase...

o post de London. Mas ainda não arranjei tempo e a preguiça também não ajuda!

terça-feira, 8 de junho de 2010

A frase mais ouvida num laboratório de investigação científica...

"Ah, se a ciência não der podes sempre ir para / fazer (inserir aqui profissão minimamente rentável e que dê origem menos dores de cabeça)..."

*tudo porque hoje foi dia de mudança de lâmpadas no laboratório, tarefa que je, pelos vistos, se aperfeiçoou a desempenhar.
"Se a ciência não der, podes sempre fazer vida a trocar lâmpadas."

quinta-feira, 3 de junho de 2010

" Alentejo, como todos sabemos, é o único sítio do mundo onde não é castigo uma pessoa ficar a pão e água."

"O Alentejo molda o carácter de um homem. A solidão e a quietude da planície dão-lhe a espiritualidade, a tranquilidade e a paciência do monge; as amplitudes térmicas e a agressividade da charneca dão-lhe a resistência física, a rusticidade, a coragem e o temperamento do guerreiro. Não é alentejano quem quer. Ser alentejano não é um dote, é um dom. Não se nasce alentejano, é-se alentejano."

Braga

De 31 de Maio a 2 de Junho andei por aqui.

E em Braga...

... descobri que faz muito mais calor do que estava à espera.
... descobri que por 5€ tenho no prato muito mais do que consigo comer.
... descobri que se anda muito a pé.
... descobri que não faz mal usar sapatos de salto alto forrados a lantejoulas vermelhas durante o dia, na cantina da Universidade.
... descobri que não é fácil estar fora da zona de "conforto científico", mas que mesmo assim ainda se consegue rir quando o orador decide que não faz mal ler o texto dos slides numa apresentação oral.


E de regresso a Lisboa, três horas mais cedo do que o previsto, ainda me esperava o jantar (que-vai-acontecer-está-confirmado!-ah-afinal-ninguém-pode-vir-e-já-não-há-jantar-nenhum...-no-fim-de-contas-conseguimos-juntar-a-malta-quase-toda) de inauguração na nova casa lisboeta dos gajos. Com direito a Buzz até às 3 da manhã.