quinta-feira, 28 de maio de 2015

.já começou

e apesar de andar com o orçamento muito reduzido e a contar tostões, já tenho a minha lista e os meus dias marcados para lá ir à sessão de autógrafos do meu escrito preferido e buscar três ou quatro livros entre os 8 e os 12 euros!

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Só para avisar que eu, tal como meio mundo, também fui visitar o novo Museu dos Choches este fim de semana, com intenções de depois me deslocar à exposição do World Press Photo. Eu, tal como meio mundo, também tenho algumas considerações a fazer:

1. Sempre achei o novo edifício um mamarracho pavoroso e absolutamente desenquadrado da zona (e olhem que durante alguns anos lá passei em frente todos os dias).

2. Já estava pronto há imenso tempo e mesmo assim o interior tem um ar de armazém mal acabado, com um chão de cimento polido e totalmente descaracterizado e sem qualquer ligação à exposição que lá se encontra.

3. Informações sobre os choches eram quase inexistentes. E estou a falar de uma placa a cada 500 metros, com vários veículos de espaçamento. Assumindo que está tudo inventariado e com informação disponível numa qualquer base de dados, não se percebe como é que não houve ninguém que imprimisse umas quantas descrições para as carroças.

4. Muita gente. Demasiada gente. Demasiada gente a tirar fotografias com carroças. Fotografias essas que nunca mais vão sair dos cartões de memória. Pessoas que posam em todo o lado, de todos os ângulos, que se metem à frente, não pedem licença. Haja paciência. Nem no Museu do Vaticano me senti tão enchouriçada.

5, A vista é bonita, ainda que o edifício tenha poucas janelas e bastante diminutas (eu sei, tem que ser para preservação dos objectos). E a carrinha do Santini a vender gelados ali à porta também é um bónus!

Tinha intenção de ir à exposição do World Press Photo no Museu da Electricidade, mas a fila era demasiado grande, andava demasiado devagar e era muito tempo ao sol. Fica para o ano. No entanto, e fica aqui a sugestão, o Museu da Electricidade tem uma exposição permanente acerca do funcionamento da antiga Central Tejo. Esta exposição é de entrada gratuita e permite visitar quase todo o espaço da Central, com encenações, vídeos explicativos e interactivos e uma série de outras actividades e espaços dedicados à ciência e à electricidade.

randomness #8

Dúvidas existenciais que me atormentam o espírito: faço molho de tomate caseiro, com dois tomates vermelhinhos e no fim aquilo fica uma mistela alaranjada*. Why, oh why?

*mas ao menos sabia a tomate e a especiarias e a essas coisas todas.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

.sabes que não és uma blogger fashion #4

olhas para a blogosfera e só pensas que parece que meio mundo ficou preso no 3° ciclo do ensino básico, no que toca ao nível do poder de encaixe, da auto-crítica e de pensar por cabecinhas alheias, numa mentalidade de manada que me causa espécie.


quinta-feira, 21 de maio de 2015

.Edimburgo em Março

Já tinha esta publicação preparada desde o fim de Abril, guardada em rascunho. No início de Março Edimburgo foi um ponto a meio caminho para me encontrar com uma amiga, que também lá ia estar nessa altura. A Escócia já fazia parte do nosso plano de viagens futuras e acabou por se proporcionar uma estadia de apenas 3 dias, que foram suficientes para ver o centro histórico da cidade.

Obelisco no Old Calton Cemetery


.Maio (ou aquele mês que passou despercebido no blog)

Maio teve direito a bebé real, casos de bullying divulgados na comunicação social, assassínio de adolescente por outro adolescente, Benfica campeão, entrada em vigor do DESacordo ortográfico, exames do 4º ano, privatização da TAP.

Em circunstâncias mais normais nalguns destes tópicos teriam tido tempo de antena aqui, mas a vida real não pára e Maio não foi um mês simpático.

Normal brodcast will resume shortly.