.mean girls

Mean Girls in the Retirement Home

Apareceu-me ontem no feed do Facebook um artigo do New York Times com o título "Mean Girls in the Retirement Home". Chamou-me a atenção por causa do filme de 2004, Mean Girls, e a princípio pensei que tivesse alguma coisa a ver com o filme em si, ou com os actores. Na verdade tem a ver com ofilme, mas não como eu esperava. Eu explico:

Parece que (pelo menos nos EUA, mas arrisco a dizer que deve ser transversal na cultura ocidental) os lares e centros de dia afinal são uma versão envelhecida das escolas básicas e secundárias de todo o mundo. Neste artigo, é a neta de uma velhota de 99 anos que relata as situações pelas quais a avó passou, e diz que a transportaram de volta para os seus dias no secundário, onde existiam grupinhos, intrigas, pessoas mázinhas (as mean old ladies) e por aí adiante: "Posso sentar-me na vossa mesa?" "Ah, os lugares estão ocupados." "Adoro bridge, querem jogar uma partida?" "Não estamos à procura de ninguém".

Ao logo do artigo percebi que algo que eu pensei saído de uma comédia nonsense, era uma realidade (felizmente não tenho avós ou familiares próximos em lares, por isso não fazia ideia que isto acontecia); percebi também que o fenómeno não era novo!

Afinal, andamos toda a vida em versões glorificadas das nossas escolas básicas e secundárias. É quando chegamos à faculdade e pensamos que vai ser tudo diferente, que temos uma folha em branco à nossa frente e vai-se a ver, é sim senhor, um novo começo... um novo começo para formar grupos de amigos mas também para criar inimizades idiotas e preferências totós. Depois entramos no mercado de trabalho (cof cof, investigação, cof cof) e pensamos que já passámos essa fase dos grupos, que somos superiores, que somos adultos e crescidos, que isso dos grupos não existe e ficou lá atrás na nossa adolescência.

Não se enganem meus amigos, as mean girls desta vida estão lá, só que mais disfarçadas debaixo de roupas das marcas e a marcar presença com as pessoas cdertas em eventos que estão na moda. E elas não aparecem só no trabalho, aparecem no ginásio, aparecem nos grupos das mães... aparecem nos lares e centros de dia quando temos 80 anos!

Comentários