Mensagens

A mostrar mensagens de 2017
Devia rasurar o everyday life musings ali do cabeçalho. É que nem monthly musings isto é, de tão patético e parco em palavras e histórias que é esta amostra de blog. Desculpem qualquer coisinha.
Tempos houve em que gostava imenso de escrever, escrever muito... tive o hábito de ter diários em miúda, mais ou menos constantes, mas que, inevitavelmente sofriam interrupções - um bocadinho como este blog, que a partir de um determinado momento se queria um diário de bordo nesta viagem da emigração e que mais parece um caderno em branco onde caíram uns borrões de tinta.
Vou tentar ser mais contante, vou mesmo. Não tanto pelas duas almas que cá devem vir quando cai a notificação no feed RSS (perdoem!), mas porque muitas vezes sinto falta de extravasar - fotos, viagens, séries que ando a ver, livros, Instastories, trabalho, o que quer que seja que me anda a ocupar a cabeça no momento. Vou tentar combater esta inércia que se abate sobre mim. Não se aplica só ao blog, mas ao tapete de ioga que …

.randomness #13

Coisas que me deixam a revirar os olhos:
Malta [jovem] que utiliza redes sociais em 2017 e ainda não aprendeu a usar hashtags. #verao2017# ou  naoseiusarhashtags#
##usarhashtagsédificil
#tutorialparausarhashtags
Quando perdes a esperança nos sorteios e compras uma sem segunda mão, por metade do preço.
Imagem
Quando a tua amiga te envia um link com livros de receitas da Bimba e os teus olhos batem imediatamente no título "Do Convento para a Bimby".


#Delorisbelike

Da próxima vez que eu me queixar do Inverno em Abril dêem-me com um pano da loiça nas fuças, sim?
Imagem
Lia, o que fazes num fim de tarde solarengo em Paris, quando está tudo a fazer fotossíntese nas margens do Sena? ... enfio-me num museu, faço download do audioguia da exposição e espero que o sol se ponha.

.aquele momento #6

Em que tenho saudades do Google Reader.

Aquilo é que era uma coisa em condições, marchava tudo e nada fica pendurado: ele era blogs, sites de notícias, journals científicos variados... Bloglovin's, Feedleys, Old Readers é tudo assim em pior e mais complicado e aborrecido (mas tenho conta em todos, ok?)

Já lá vão uns anos e nunca encontrei nada que me enchesse as medidas, essa é que é a verdade.

#bestfriendsforever #bringbackGoogleReader #euaindasoudotempo #bateusaudade #buéhashtags

Nem às paredes confesso

Estão a ver aquele vizinho obnoxiousa quem vos apetece mandar para a real p*ta que o pariu porque tritura sopas na Bimby à meia noite? .
.
.
.
. Sou eu.
Desabafo:Sabem os ursinhos das ideias de merda da Avenida Q (se não sabem shame on you, e despachem-se a comprar bilhetes para o regresso em Setembro)? Acredito piamente que não são marionetas, existem e há mesmo quem lhes dê ouvidos, a julgar pelas ideias de merda que vou tendo que gramar... Smile and wave, já dizia o outro.
Penso muitas vezes sobre como devo voltar a escrever aqui. Não só sobre a minha vida aqui, mas coisas que acontecem em Portugal e no mundo, coisas sobre as quais me apetece escrever ou deixar registadas de alguma maneira. O Facebook poderia ser a melhor plataforma para isso, mas é mais uma janela para a vida de cada um e a sensação que me deixa é a de um sítio onde toda a gente pode ir debitar umas quantas frases, encetar um debate, fazer os holofotes incidir sobre si, e deixar que todo um universo de "amigos" tenha uma vista prveligiada para a nossa vida. É por isso que gosto desta plataforma e nunca a deixei morrer verdadeiramente. Além de ser já antiga e apesar de já aqui ter dado a cara tenho tão poucos seguidores/leitores e comento tão poucas vezes nos blogs que leio, que aqui acaba por ser um local mais privado e com muito menos impacto do que o meu Facebook ou o meu Instagram, onde me permito mandar umas larachas de vez e quando.

Adiante, e voltando ao início deste p…
Coisas que os franceses fazem... 
Comer a salada de alface no fim da refeição. Ou qualquer outra coisa fria que esteja no menu como "entrada". Fazer do queijo sobremesa também é estranho para mim, mas deve ser porque não gosto de queijo.

.sabes que estás velha...

... quando emborcas uma Karmeliet pint e uma La Chouffe pint, de estômago vazio enquanto vês a Champions, e no dia seguinte acordas com sintomas de ressaca.
sabem quantas vezes abri a gramática de francês Larousse que adquiri na Bertrand no Natal passado? Exactamente duas. Quer-me parecer que seis meses é o tempo limite para me safar com "ah, desculpa, o francês é a minha terceira língua e eu só estou cá há pouco tempo, por isso não falo muito bem".
às vezes lembro-me que prometi actualizar o blog com mais frequência, mas 5 segundos depois o pensamento esfuma-se e volto à vida real.
Quando parti achei que este blog ia estar sempre actualizado, que iria servir de jornal de viagem ou de desabafo de recém expatriada, que seria a montra das fotografias desta cidade. Não foi. Ficou abandonado, e eu com tanta coisa para dizer, para mostrar e para contar. Na verdade as coisas foram sendo partilhadas com quem importava mais no Skype, Whatsapp e Facebook. Por Poucos vêm aqui ter para ler. Gostava de começar do princípio, mas receio perder o fio à meada e esquecer-me de pormenores em determinadas situações que na altura tiveram a maior importância. Por isso começo aqui, hoje, de novo.
Voltei.